skip to Main Content
(54) 99153-1904 aearv@aearv.com.br
DSC 0857

Grégory Bousquet, da Triptyque Architecture, abre a programação do II Congresso Estadual AEARV

Sócio-fundador do escritório franco-brasileiro falou sobre sustentabilidade e mixidade na Arquitetura

Integração entre esferas sociais, recursos e inovação como forma de soluções para uma cidade mais acolhedora, moderna e funcional. Essa foi a essência da palestra que marcou o início das atividades do II Congresso Estadual AEARV, ministrada pelo arquiteto Grégory Bousquet. Sócio do Triptyque Architecture, escritório que tem como inspiração a energia do Brasil e a influência da França e está presente nos dois países, ele falou sobre “Novos Territórios” e como esse conceito urge na Arquitetura atual.

Para Bousquet, a praxe da arquitetura está mudando. Hoje, os projetos unem tecnologia, sustentabilidade e a mixidade do público com o privado. Essa nova postura abre possibilidades de uso e de inserção urbana, com outros caminhos para pensar melhor a cidade. “Estamos falando de novos territórios ao mesmo tempo de uma forma literal – novos espaços, novos lugares nas cidades – e também metafórica – usos, sustentabilidade”, explica.

E para mostrar que essa teoria já vem sendo aplicada, ele apresentou cases reais do Triptyque Architecture como Red Bull Station, Mediateca de Osny, RB12 e edifício Fidalga. Um dos destaques é o projeto Re-Inventar Paris, concurso promovido pela capital francesa para revitalizar estruturas subutilizadas de pontos abandonados na área central, no qual o escritório emplacou dois projetos, em parceria com outros arquitetos. Autoridades da Cidade Luz viram nessa competição uma forma de garantir o futuro da metrópole, que é uma das queridinhas do mundo. “Temos que repensar a cidade hoje para deixar ela mais sustentável em todos os sentidos da palavra”.

Outro case explorado durante a palestra foi o Projeto Harmonia, edifício comercial localizado na capital paulista pensado para funcionar como um organismo vivo que pulsa no ambiente de grande fluxo artístico que o cerca. Das paredes brotam vegetais que funcionam como pele e transmitem fôlego de vida. A estrutura bruta, composta por dois blocos, comporta um pequeno ecossistema à base do reaproveitamento da água da chuva e alternância de espaços que favorecem a iluminação natural, entre outras particularidades. “Temos que pensar a mixidade social, a mixidade programática, a sustentabilidade dos materiais, a inventar a arquitetura que pode receber esses desafios em termo de fluxos, de programação de materiais, de reversalidade no uso futuro”, observa.

O II Congresso Estadual AEARV ocorre nos dias 25 e 26 de agosto na Fundação Casa das Artes, em Bento Gonçalves. Confira a programação completa em www.congressoaearv.com.br ou pela fanpage em Facebook.com/aearvbg. Mais informações pelo telefone (54) 3451.9533.

Sobre a Triptyque

Presente, ao mesmo tempo, no Brasil, um país cheio de energia que tem captado o olhar do mundo todo, e em Paris, berço de vários princípios da cultura contemporânea, a Triptyque Architecture alimenta-se e inspirara-se nessas duas culturas. Com 16 anos de tradição, a agência desembarcou na Serra Gaúcha para compartilhar sua arquitetura durante o II Congresso Estadual AEARV. Fundada no ano 2000 por Grégory Bousquet, Carolina Bueno, Guillaume Sibaud e Olivier Raffaëlli, a Triptyque Architecture explora meios que podem servir à construção contemporânea e sustentável.

 

 

Back To Top